Eu acredito em magia. Acredito em grandes magos e bruxas atravessando os séculos, se disfarçando de meros mortais e compartilhando sua sabedoria com as outras pessoas sem pedir nada em troca. Às vezes eu acredito numa versão mais literal dessa história, às vezes ela é só uma alegoria para explicar o poder e influência que algumas pessoas tem ao passarem por nossas vidas. De qualquer forma, hoje, no caminho do trabalho (olha só a novidade!), eu peguei um ônibus com um mago. Para os desavisados…Continue a ler “No ônibus com um mago”

Comecei o BEDA com muitas ideias e nenhum post preparado. Enquanto eu gosto dessa ideia, porque ela me obriga a escrever e criar coisas novas todos os dias, essa também é uma forma meio arriscada de participar, afinal, se tenho um dia muito complicado como ontem, acabo não conseguindo postar. Mas aí eu fiquei pensando nisso, do quanto as coisas seriam bem mais fáceis se eu tivesse me preparado melhor para esse agosto, e no quanto eu gostaria que eu pudesse me preparar para todas…Continue a ler “Quando a gente não se prepara…”

O dia de hoje foi todo gasto fazendo mudanças no meu quarto e arrumando minha mesinha de trabalho na sala que já fica o computador grande aqui de casa. Decidi tirar o computador do quarto e arrumar um lugar pra eu trabalhar longe da cama para tentar melhorar minhas noites de sono. A verdade é que minha cabeça ansiosa não precisa de ajuda nenhuma para pensar sem parar, mas ficar olhando para a mesa com o computador me fazia ficar ali, pensando no tanto de…Continue a ler “Hora de encarar a vida”

Às vezes eu preciso faltar de aula, ou desmarcar um compromisso. Às vezes eu preciso esperar o próximo ônibus, ou não sair da sala no intervalo. Às vezes eu preciso trocar de roupa até que seja a certa, ou repetir a mesma blusa até todo mundo se cansar. Às vezes eu preciso fazer coisas que não parecem ter sentido para nenhuma pessoa além de mim, e fico com medo de não ser entendida, mas preciso me cuidar. E aí uma amiga minha, que sempre está…Continue a ler “Não se sinta culpada!”

Sempre me importei. O psiquiatra disse que é uma das coisas mais fortes em mim, que engatilha as ansiedades e me deixa em estado depressivo. Mas eu sempre me importei. Houve tempos, quando eu não me sentia eu mesma e só queria me encaixar, que eu fingia não me importar. Parecia o mais legal a se fazer. Deixar a vida passar como se você fosse importante demais pra tudo aquilo que acontecia. Nada me afetava, nada me emocionada, nem feliz nem triste, um estado perfeitamente…Continue a ler “Eu me importo demais”